terça-feira, 5 de outubro de 2010

A poesia de Idmar Boaventura

Nessa minha vida de leitora apaixonada, tenho me dedicado à leitura de escritores baianos e, para minha alegria, percebo que temos gente boa fazendo literatura. Hoje resolvi postar uma poesia de Idmar Boaventura, poeta e professor de Literatura da UEFS. Uma poesia que reflete as nossas andanças, nossas buscas intermináveis por estes caminhos da vida.

 Dos inóspitos caminhos

Nenhum barco vem ou vai,
eu sei,
mas o que fazemos no cais?
Sob os escombros da alma
a imensa sede de nada?
E o destino que mapeiam
só uma rota inventada?
Que saberemos, poeta,
dos inóspitos caminhos?
Nada, talvez.
Nada.

Do livro A outra margem (2008)

Um comentário:

  1. Saudade desse mundo de poesia... Quero voltar!

    Belos versos, ótima escolha.

    ResponderExcluir

Seu comentário será lido.