terça-feira, 26 de julho de 2011

Samba de primeira com Maryzelia e os Coisinho

Entrevista

Na linha de frente do grupo Maryzelia e os Coisinho, a Menina Mary vem encantando, com seu samba, um número cada vez maior de fãs.




Você faz parte do cenário musical feirense há algum tempo. Contudo, percebe-se que com a formação "Maryzélia e os Coisinho", sua carreira ganhou uma nova dimensão. Em algumas palavras, fale sobre seu percurso musical? Ou melhor, como foi que tudo acabou em "samba"?

Fiquei durante dois anos e meio com Grupo de Chorinho Entre Amigos  e, atualmente, estou com este  formato Maryzelia e os Coisinho, há  um ano e nove meses.Por enquanto, tocamos em  Feira de Santana e regiões circunvizinhas... Ipirá, Irará, Sátiro Dias, Santa Bárbara, Santo Amaro... Tudo se iniciou com samba, desde quando fui gerada...kkk .Na verdade, meus pais na época em que namoravam.. diziam que se chegasse a se casar e ter filhos, e a primeira fosse menina e gostasse de samba.... meu nome é a junção deles Mauricio e Zélia = Maryzelia... dái se tira né? não tinha como não dar samba. E daí estamos devagarzinho e sempre...com muita responsabilidade,respeito FÉ EM DEUS E PÉ NA TÁBUA!




Todo artista traz em si um pouco de seus antecessores.Quais os nomes que contribuíram, e contribuem, para sua formação musical?

Quateto em Cy, Viniicus de Moraes, Tom Jobim, Toquinho, Clara Nunes, Jovelina ,Beth,Dicró, Jorje Aragão, Fundo de QUintal,Benito di Paula,Cartola, Adoniran Barbosa,Paulinho da Viola,Dorival Caymmi,Djavan, Caetano, Maria Betania...
 .A sambista Mariene de Castro tornou-se uma referência feminina do samba da Bahia, sendo reconhecida nacionalmente.Para você,qual a importância dessa artista para a Música Popular Brasileira?

Representante da nossa cultura popular, que rege na nossa BAHIA efervescente  e mostra ao mundo lá fora.

Além da música, quais são suas outras paixões?

A ARTE numa  visão Macro


Rapidinhas:

Um sonho realizado: Acreditar que posso, mesmo tendo o receio que faz parte da vida.
Um sonho a conquistar: Ter qualidade de vida com arte ímpar que é a MÚSICA
Uma frase: Não tenha medo da mudança. Coisas boas se vão, para que melhores possam vir.
A trilha sonora de sua vida: A vitória demora, mas vem...
Um momento muito importante: Participação do UNIFEST (Festival Universitário de Música) na Concha Acústica.
Três coisas essenciais: Vida, Saúde, AMOR(amigos,família)

O que os fãs podem esperar ainda para este segundo semestre?

Menina...boa pergunta... estamos vendo a possibilidade da gravação do nosso cd.

Qual a sua agenda para os próximos dias, meses....?

Toda sexta no Botekim a partir das 22h (Avenida João Durval)
20 de agosto Feira do Livro às 20h, na praça do Fórum, e festas particulares.



Fotos: http://maryzeliaeoscoisinho.blogspot.com/

Entrevista realizada via e-mail.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Autor versus autor

      É muito fácil criticar um autor iniciante ou aquele escritor que nunca teve um grande alcance, ainda mais se o crítico é um escritor veterano e considerado universal por sua importância histórica. Mas tem vezes que sobra até para algumas "vacas sagradas" da literatura universal, mesmo os nomes de maior peso como Dostoievsky, James Joyce ou até Mark Twain.
     Nesta semana, o site Flavorwire compilou 30 das mais engraçadas provocações públicas da história literária do Ocidente, colocando autor contra autor em uma lista que, apesar de nem ser tão longa, já dá uma ideia em linhas gerais da opinião real que gênios tem de outros gênios. Na seleção, ninguém escapou das linhas afiadas destes romancistas e poetas que incluem Gustave Flaubert, Vladimir Nabokov, Virginia Woolf, Charles Baudelaire, Truman Capote e Henry James.
Logo abaixo você vê a lista completa de insultos de autores para outros autores, todos eles de renome internacional.

domingo, 26 de junho de 2011

Sonata e Luar




Ai que a estrada é tão vasta!
E esta montanha tão chã!
Quem me escuta bem sabe
que eu vou morrer amanhã
      de amanhã
            de amanhã.

E não inteiramente apaziguado.

In: BRASILEIRO,Antonio.Poemas reunidos.Salvador:Secretaria de Cultura e Turismo, FUNCEB, 2005.P.37

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Levitação II

Idmar   Boaventura

Bebi das águas do Lethes,
e enfim adormeci.
Para acordar sem angústias,
liberto de todo o peso.
Para enfim, poder ser leve.
Acordar com o chilreio dos pardais
e adormecer com cigarras
e, no entremeio, 
levitar
como quem alcançou a graça do nada.
Leve como a sombra de um pluma,
como a brisa que se esquece
de passar.


Este poema de Idmar Boaventura apresenta um dos valores proposto por Italo Calvino , em seu livro Seis propostas para um novo milênio. O valor que destacamos é o da "Leveza", manifestado através do abandono  do peso no rio Lethes que, segundo a mitologia grega, seria responsável por apagar a memória daqueles que bebessem de suas águas. Os quatro primeiros versos já indicam a passagem do estado de peso para o estado de levitação, já que, após  o adormecimento, as angústias (peso) são substituídas pelo alcance da "graça do nada". A leveza também é notável através dos "chilreio dos pardais"," sombra de um pluma" e da brisa que aquece. As propostas sugeridas por Calvino são valores estéticos que, segundo o autor, a literatura deste nosso milênio deve apresentar.


terça-feira, 14 de junho de 2011

SONETO LEVE E AZUL FEITO DE MAR

(Gonzaga Leão)
Tens amada nos olhos exilado
o mar de aéreo azul. O aéreo gosto
de sal nos lábios e manhãs no rosto.
No mapa do teu ventre tatuado

continente do amor inusitado.
Esperanças nas mãos. Morno sol-posto
nos cabelos que acenam pelo gosto
marítimo do adeus de ser lembrado.

Por isso é muito fácil a quem te ama
reinventar teu mundo e o panorama
frágil da tua carne. Pois não deves

ser mais do que um vôo desenhado
no silêncio da praça e do telhado
das casas feito só de coisas leves.

O poema está no livro Artesanias da Palavra, publicação que reune cinco maraivilhosos/as poetas alagoanos/as.

domingo, 5 de junho de 2011

XIII SILEL - XIII Simpósio Nacional de Letras e Linguística e III Simpósio Internacional de Letras e Linguística


O Instituto de Letras e Linguística da Universidade Federal de Uberlândia promoverá no período de 23 a 25 de novembro de 2011, no Campus Santa Mônica, na cidade de Uberlândia - MG/Brasil, o XIII Simpósio Nacional de Letras e Linguística e III Simpósio Internacional de Letras e Linguística. A proposta do evento é promover a reflexão em torno dos Estudos Lingüísticos e dos Estudos Literários, configurando-se como um espaço de discussão e circulação de idéias e trabalhos que fundamentam as principais linhas de pesquisa que compõem essas áreas. O SILEL, no ano de 2011, terá uma programação constituída de:

· Conferências
· Mesas-redondas
· Grupos Temáticos (GTs) (para apresentação e discussão de trabalhos)
· Painéis
· Lançamento de livros
· Atividades culturais

As inscrições e a submissão de trabalhos serão realizadas obedecendo ao seguinte calendário:

De 21/02/2011 até 31/03/2011 – para coordenação de Grupo Temático;
De 17/05/2011 até 11/07/2011 – para comunicação em Grupo Temático;
De    17/05/2011    até 11/07/2011 –  para apresentação em Painéis.


Visite o site que estará no ar a partir de 21/02/2011, já com inscrições abertas para coordenadores de GTs nas áreas de Linguística, Linguística Aplicada e Literatura.

SITE: www.ileel.ufu.br/silel2011
Comissão organizadora:

Presidente: Fernanda Mussalim
Vice-Presidente: Leonardo Francisco Soares
Secretário: Ernesto Sérgio Bertoldo
Vice-secretárias: Heloisa Mara Mendes / Camila da Silva Alavarce Campos
Tesoureiro: Luiz Carlos Travaglia
Vice-tesoureira: Maura Alves de Freitas Rocha


 



 

quarta-feira, 30 de março de 2011

Dia 08 de abril...aniversário do blog

Queridos leitores e leitoras!

Dia 8 de abril este blog completará 2 aninhos. Cuido desse espaço com muito carinho e atenção. Obrigado por cada visita, cada saudação e continuem prestigiando "Algumas palavras" minhas.



Que estejamos mais um ano juntos!

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Antologia do I Concurso de poesia da Revista Literária

Fico muito feliz em participar desta Antologia.Espero que seja a primeira de muitas outras.E viva a poesia!


Antologia é uma palavra grega que significa coleção de flores. É um dos principais recursos literários para representar a cultura e seu tempo, porque consolida a diversidade dos autores, em verdadeiros patrimônios históricos. Com os sucessivos concursos literários que realizamos, pretendemos revelar novos talentos e incentivar a leitura. Mais do que isso... estamos sempre conhecendo o sabor da poesia, que inspira e incentiva a produção de novos poemas. Aqui, temos 42 autores que foram selecionados apenas pelo mérito de seus trabalhos. O julgamento pode ter sido passível de críticas, porque nossa trajetória é humana, mas o melhor que podemos oferecer é uma análise honesta das produções artísticas que recebemos. Eu só posso chamar de irresistível a vocação daqueles que produzem a cultura nos horários vagos, porque não podem abandonar as atividades que lhes garantem o sustento. Quem escreve sem obter a contrapartida financeira, é porque sente amor pelo ofício. Está predestinado a promover a informação e o entretenimento no mundo. Em vários momentos da história, foram os escritores indignados, os protagonistas dos movimentos em que a caneta venceu a espada. Nosso especial agradecimento ao Grupo Editorial Scortecci, que apoiou a iniciativa, movido apenas pelo contexto cultural, pela vontade de ajudar.



terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Diogo Nogueira-To Fazendo a Minha Parte/Presente de Deus(CitibankHall-SP...




Tô saindo pra batalha
Pelo pão de cada dia
A fé que trago no peito
É a minha garantia
Deus me livre das maldades
Me guarde onde quer que eu vá
Tô fazendo a minha parte
Um dia eu chego lá

Todo mês eu recebo um salário covarde
No desconto vai quase a metade
E o que sobra mal dá pra comer
Eu sou pobre, criado em comunidade
Lutando com dignidade, tentando sobreviver
Quem sabe o que quer nunca perde a esperança, não
Por mais que a bonança demore a chegar
A dificuldade também nos ensina
A dar a volta por cima e jamais deixar de sonhar

Letra de Flavinho Silva e Gilson Bernini

Em dias de tristeza e abatimento este sambinha cai muito bem. E se for na voz do talentoso Diogo Nogueira melhor fica!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Sobre o Haikai

Lendo um pouco sobre o Haikai, resolvi brincar com este tipo de poesia. É uma brincadeirinha mesmo. Segue um texto informativo a título de curiosidade.É muito gostoso! Aproveitem e criem seu próprio Haikai.

  
Ai cai

O balão subiu
no mais alto céu chegou
boca do mar engoliu.


Elis Franco em 23/01/2011

    O Haikai é uma pequena poesia com métrica e molde orientais, surgida no século XVI, muito difundida no Japão e vem se espalhando por todo o mundo durante este século. Possui uma longa história que retoma a filosofia espiritualista e o simbolismo Taoista dos místicos orientais e mestres Zen-budistas que expressam muito de seus pensamentos na forma de mitos, símbolos, paradoxos e imagens poéticas. Isto se deve à tentativa de transcender a limitação imposta pela linguagem usual e pensamento linear e científico que trata a natureza e o proprio ser humano como máquina. Na filosofia Zen, assim como no Haikai, é necessario ter introspeção e análise mais profunda fazendo-se perceber e descobrir curiosos e belos fatos naturais que de outra forma passariam despercebidos. O objetivo é capturar a essência do local numa poesia contemplativa e descritiva com grande valorização nos contrastes, na transformação e dinâmica, na cor, nas estações do ano, na união com a natureza, no que é momentâneo versus o que é eterno (ruptura do contínuo) e no elemento de surpresa.
      É uma forma extremamente concisa de poesia que "gira" em torno de uma série bem definida de regras, mas nem sempre obedece sua forma original, podendo ser adaptada para diversas circunstâncias. Assim, existem poemas baseados em apenas algumas das características do Haikai:
  • Poesia de três linhas e 17 sílabas normalmente distribuídas na forma 5, 7 e 5 sílabas respectivamente em cada linha.
  • Assim como o "click" de uma máquina fotográfica, deve registrar ou indicar um momento, sensação, impressão ou drama de um fato específico da natureza. É aproximadamente a imagem de um "flash" ou resultado de um "insight" (=visualização/iluminação), cercado de pureza, simplicidade e sinceridade.
  • Não costuma haver posicionamento do poeta, pois é preferencialmente uma descrição do presente evitando comparações ou conceitos do tipo "isso é belo (ou feio), etc", evitando o aparecimento das fraquezas do ser humano perante a natureza.
Mais que inspiração, é preciso meditação, esforço e principalmente percepção para a composição de um verdadeiro Haikai.

Fonte:http://www.insite.com.br/rodrigo/poet/haikai.html

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

"Tuba mirum" de Antonio Brasileiro

.
Não esperem por mim.
Fui-me, como todos. Não esperem.
Mas se esperarem, receiem
que eu chegue tarde. Em
não chegando,
acendam todas as luzes,
ponham Mozart no maior volume
e digam que fui poeta apenas, que isso basta

Como diz Ruy Espinheira Filho, no discurso de saudação a Antonio Brasileiro, quando da posse deste na  Academia de Letras da Bahia, "Vós sois, escritor Antonio Brasileiro, como todos os artistas, um fatalizado".O poema supracitado é tão impactante quanto a composição de Mozart ,que leva o mesmo nome. Escolha intencional do título do poema para mostrar que a condição do poeta é ser poeta, puramente poeta. Não se é artista por escolha. A arte, seja ela poética ou não, é condição dos que foram destinado a ela.

Leia o discurso completo aqui: