quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Antologia do I Concurso de poesia da Revista Literária

Fico muito feliz em participar desta Antologia.Espero que seja a primeira de muitas outras.E viva a poesia!


Antologia é uma palavra grega que significa coleção de flores. É um dos principais recursos literários para representar a cultura e seu tempo, porque consolida a diversidade dos autores, em verdadeiros patrimônios históricos. Com os sucessivos concursos literários que realizamos, pretendemos revelar novos talentos e incentivar a leitura. Mais do que isso... estamos sempre conhecendo o sabor da poesia, que inspira e incentiva a produção de novos poemas. Aqui, temos 42 autores que foram selecionados apenas pelo mérito de seus trabalhos. O julgamento pode ter sido passível de críticas, porque nossa trajetória é humana, mas o melhor que podemos oferecer é uma análise honesta das produções artísticas que recebemos. Eu só posso chamar de irresistível a vocação daqueles que produzem a cultura nos horários vagos, porque não podem abandonar as atividades que lhes garantem o sustento. Quem escreve sem obter a contrapartida financeira, é porque sente amor pelo ofício. Está predestinado a promover a informação e o entretenimento no mundo. Em vários momentos da história, foram os escritores indignados, os protagonistas dos movimentos em que a caneta venceu a espada. Nosso especial agradecimento ao Grupo Editorial Scortecci, que apoiou a iniciativa, movido apenas pelo contexto cultural, pela vontade de ajudar.



terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Diogo Nogueira-To Fazendo a Minha Parte/Presente de Deus(CitibankHall-SP...




Tô saindo pra batalha
Pelo pão de cada dia
A fé que trago no peito
É a minha garantia
Deus me livre das maldades
Me guarde onde quer que eu vá
Tô fazendo a minha parte
Um dia eu chego lá

Todo mês eu recebo um salário covarde
No desconto vai quase a metade
E o que sobra mal dá pra comer
Eu sou pobre, criado em comunidade
Lutando com dignidade, tentando sobreviver
Quem sabe o que quer nunca perde a esperança, não
Por mais que a bonança demore a chegar
A dificuldade também nos ensina
A dar a volta por cima e jamais deixar de sonhar

Letra de Flavinho Silva e Gilson Bernini

Em dias de tristeza e abatimento este sambinha cai muito bem. E se for na voz do talentoso Diogo Nogueira melhor fica!