domingo, 29 de março de 2015

Toque



Desliza sobre este corpo teus dedos macios.
Ignora nele as marcas do passado,
os vestígios de outros toques não mais possíveis.

O tempo, mestre que nada ensina a quem não quer aprender,
sabe pouco de toques corpóreos, de desejos recônditos,
deste ardor que dá e que passa.

O tempo, senhor das discórdias e dos amores,
nem sempre suaviza as angústias da alma.
(Somos nós que nos desimportamos com as dores).

Desliza sobre este corpo teus dedos suaves.
Supera as leves pegadas, esqueça as outras paragens,
cumpramos, também nós, a nossa breve passagem.

(Elis Franco) 28/03/15





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será lido.